A Batalha de Sebastopol e o fim da Guerra da Crimeia (1853-1856)

O Sítio de Sevastopol (ou Sebastopol) - Setembro de 1854 - Setembro de 1855.

O sítio a Sebastopol, a capital da Crimeia na época, foi uma das principais batalhas da Guerra da Crimeia. 




Ele começou em Setembro de 1854, quando um exército de 67 mil soldados britânicos, franceses e turco-otomanos desembarcou no porto de Eupatoria, na Crimeia.

O objetivo desse exército era de marchar triunfantemente pela Crimeia até chegar a Sebastopol, principal porto do Mar Negro e a base naval da Esquadra Russa do Mar Negro (que era uma ameaça às rotas comerciais do Mediterrâneo).

Porém a resistência russa ao longo da marcha dos aliados foi feroz. Várias batalhas ocorreram até britânicos, franceses e otomanos finalmente chegarem a Sebastopol, entre essas batalhas encontram-se as mais famosas de toda a Guerra da Crimeira: Alma (Setembro de 1854), Balaklava (Outubro de 1854), Inkerman (Novembro de 1854), Tchernaya (Agosto de 1855), Redan e Malakoff (Setembro de 1855).

Todas estas batalhas são consideradas como parte da grande campanha por Sebastopol.





Redan era um baluarte defensivo russo muito próximo a Sevastopol, sendo ele a última linha defensiva antes da cidade em si.

Finalmente chegando a Sevastopol, após a série de batalhas pelo caminho, a força aliada montou um anel fortificado em volta da cidade, para que nenhum russo pudesse entrar ou sair de Sebastopol.

Por mar, uma esquadra britânica e francesa estavam de prontidão na saída do porto, para impedir qualquer navio russo de sarpar e fazendo bombardeiros esporádicos contra os defensores.

A guarnição russa fez várias tentativas de contra ataque, tentando quebrar as trincheiras francesas e inglesas que cercavam Sebastopol, sem sucesso, Principalmente no setor em torno do Baluarte Malakoff. O Baluarte Malakoff, ou Reduto Malakoff, juntamente com o Baluarte de Grande Redan eram as principais posições defensivas russas em torno de Sevastopol.


No dia 7 de Setembro de 1855, tropas francesas atacaram o baluarte Malakoff, enquanto um ataque simultâneo ocorria no Baluarte Grande Redan, este atacado por tropas britânicas, após um bombardeio estupendo das 307 peças de artilharia aliadas que durou dia e noite desde o começo do sítio a Sevastopol.



A quantidade de canhões e morteiros aliados em terra era estupenda. Cerca de 307 peças de artilharia castigavam as linhas russas dia e noite, causando de 2 mil a 3 mil mortes por dia, dos dias 5 a 8 de Setembro de 1855.

Enfim, em 8 de Setembro de 1855, as forças aliadas, reforçadas com mais soldados que tinham acabado de chegar á Crimeia, somando quase 175 mil soldados, avançaram contra a acabada guarnição russa, exausta pelas pesadas baixar e pelos bombardeios intermináveis, que no início dos combates somava quase 102 mil soldados e marinheiros

Ao todo, 128.387 soldados franceses, britânicos e otomanos morreram por combate ou doenças ou foram feridos. todos os 102 mil soldados russos pereceram nas batalhas e no cerco a Sebastopol.




Mesmo com a defesa de Sebastopol matando um numo grande de soldados aliados, sua tomada foi uma das batalhas finais da Guerra da Crimeia e o último prego no caixão dos planos de expansão russos para os Bálcãs e Mar Negro, pelo menos até a década de 1880-1890. A Batalha de Sebastopol terminou com a Guerra da Crimeia dando a vitória, com um alto número de vítimas, aos aliados franceses, ingleses e otomanos.


Inspiração para o post: http://georgy-konstantinovich-zhukov.tumblr.com/post/55816156190/siege-of-sevastapol-by-franz-roubaud



Fonte:

Crónicas de Guerra Da Crimeia a Dachau, José Rodrigues dos Santos (http://goo.gl/CBIrC1)

Princípios de defesa militar, Vasconcellos, J.S., Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1939.



Postado por: Matheus Santos da Silveira, Professor de História formado pela PUCPR, Especialista em História Contemporânea e Relações Internacionais

Sobre este site

O Projeto História Ilustrada é uma iniciativa acadêmica apoiada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) e pela Fundação Antõnio dos Santos Abranches (FASA). Todos os autores deste site são formados ou estudantes do curso superior em História. Nós usamos técnicas de redação compatíveis com a linguagem da internet com o objetivo de disseminar o conhecimento e paixão pelos estudos históricos.

0 comentários: