Animação "O Emprego" critica as relações de trabalho de uma forma impressionante


Você já se perguntou aonde a cultura do consumo está nos levando? É cada vez mais comum nos grandes centros urbanos observar pessoas cheias de afazeres, mas sempre com um vazio existencial. Em alguns países já se questionou a necessidade de tantas horas diárias de trabalho, chegando a se reduzir a carga diária de 8 para 6 horas. Entretanto, um fenômeno assustador acaba se revelando nesses lugares, na busca por aumentar o poder de compra, essas pessoas chegam a desejar manter dois empregos, voltando a trabalhar ainda mais, 12 horas por dia.

O curta argentino "el Empleo" (O Emprego) trata desse tema através de uma releitura angustiante que nos leva a refletir até onde vai a ficção da animação. Qual o papel do ser humano na sociedade? O vídeo não contém diálogos, explorando o silêncio como um recurso amplificador do impacto visual.


“Com humor ácido e um olhar crítico, nós exploramos o lugar do ser humano nas sociedades modernas, tentando provocar no espectador uma reflexão profunda a partir do filme”, diz Santiago 'Bou' Grasso, diretor da obra que já conquistou mais de uma centena de prêmios de cinema desde o seu lançamento, em 2008.


Mais trabalhos do estúdio de animação: http://www.opusbou.com.ar/
Bruno Henrique Brito Lopes 
Graduando em História pela Universidade Católica de Pernambuco. 

Sobre este site

O Projeto História Ilustrada é uma iniciativa acadêmica apoiada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) e pela Fundação Antõnio dos Santos Abranches (FASA). Todos os autores deste site são formados ou estudantes do curso superior em História. Nós usamos técnicas de redação compatíveis com a linguagem da internet com o objetivo de disseminar o conhecimento e paixão pelos estudos históricos.

2 comentários: