About Me

Manipulação fotográfica: como seria a paisagem Rio de Janeiro antes da chegada dos europeus?







O Brasil é um país de particulares belezas naturais. Após a chegada dos europeus, sua paisagem passou por intensa modificação, seja para a construção de grandes centros urbanos ou mesmo exploração de recursos naturais (como minério e madeira). Presente em boa parte do litoral do país, a Mata Atlântica foi o primeiro bioma a ser comprometido pela chegada dos povos europeus. A situação foi se agravando século após século com a maior exploração da terra, chegando a um ápice de destruição no século 20, com a maior interiorização da ocupação do país. Estudos apontam que apenas 4% do domínio original da Mata Atlântica ainda está presente no mapa brasileiro.

Pensando nisso, uma empresa de manipulação fotográfica preparou algumas imagens da cidade do Rio de Janeiro sem a intervenção humana. A ação, parte de uma campanha feita para o MetrôRio, foi realizada com o cuidado de preservar a essência da paisagem inalterada. Para isso, um helicóptero foi alugado e foram fotografados, além das imagens que estão divulgadas, alguns pontos de mata virgem. O resultado foi maravilhoso: duas impressionantes fotografias manipuladas para simular a Cidade Maravilhosa em seus principais cartões postais sem a intervenção humana. 

(use o mouse para interagir com as animações abaixo e comparar o antes e o depois)


Foto: vista panorâmica da Enseada do Botafogo em 1889. O primeiro contato europeu com o Rio foi através do navegador Gaspar de Lemos, em 1502, mas a cidade só foi fundada décadas depois, em 1565, por Estácio de Sá. A cidade é uma das maiores do mundo e carrega em sua histórias episódios como uma invasão francesa e a chegada da Família Real Portuguesa. 

(clique nas imagens para ampliar)

A famosa vista do Pão de Açúcar na Enseada do Botafogo, como foi batizada em 1590, quando as terras pertenciam ao chefe da artilharia do Galeão Botafogo, João Pereira de Sousa.

Orla das praias de Leblon e Ipanema junto à entrada da Lagoa Rodrigo de Freitas, o local era conhecido pelos portugueses como Costa Brava. Seus habitantes originais, os índios Tamoios, chamavam a região de Piraguá. 

Fontes:
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/02/produtora-recria-paisagens-do-rio-antes-da-civilizacao-veja-diferenca.html
http://blogs.estadao.com.br/marcelo-rubens-paiva/rio-de-janeiro-sem-os-cariocas/
https://www.behance.net/gallery/Metro-Rio-Agencia-Script/14127031
http://www.rbma.org.br/anuario/mata_03_anosdedesttuicao.asp

Bruno Henrique Brito Lopes 
Graduando em História pela Universidade Católica de Pernambuco. 

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Faltaram nas manipulações as restaurações dos morros naturais. Mantiveram os aterramentos.

    ResponderExcluir